MNV – Eminem, Lil’ Wayne e a hora de aposentar

mnvlilem

Fala, seus filho do Bolsonaro! Na última semana, um tweet postado por Wayne fez muita gente acreditar que ele estaria se aposentando (Teve até quem pensasse que ele tava a beira da morte) e como já tava pensando em fazer um MNV sobre aposentadoria mas relacionando ao Eminem, decidi convidar o Santi pra escrevermos sobre os rappers que nos fizeram tomar gosto pelo rap (Eu falarei sobre Em, e Santi sobre Wayne) e vamos fazer uma comparação entre as carreiras, o auge e o declínio dos dois, o sentimento dos fãs sobre a situação atual dos seus ídolos e nossa opinião sobre uma possível aposentadoria.

As carreiras de ambos tem muitos pontos em comum, mas diferem na época de seus auges: O ápice da carreira do garoto branco foi lá por 2000-2002 onde ele batia recordes de vendas com o “Marshall Mathers LP” e o “The Eminem Show”, turnês lucrativas af, liderava charts mundo a fora; Já o Weezy teve seu melhor momento iniciado em 05~07 com o lançamento do “Tha Carter II”  logo depois, entre 07~08 com “Tha Carter III” quando explodiu, seu rosto estava em todos lugares, versos em lançamentos de peso e refrões que se tornaram hinos (“Make it Rain “, “Duffle Bag Boy”, “Hello Brooklyn”, “My Life”, etc). Como dá pra perceber tem uma diferença grande de tempo entre os seus melhores momentos e isso implica na situação atual entre o artista e a fan base que eu vou explicar depois.

Em 2004, Eminem lançou o “Encore” e nem precisa dizer que não foi tão bem recebido quanto os anteriores, um Slim Shady forçado por pressão de gravadora e o abuso de drogas enquanto gravava essa merda fez surgirem tracks como “FACK”, “Puke” e “Big Weenie”. Pra completar, Proof (R.I.P.), melhor amigo e companheiro de D12 do Em, veio a falecer no dia 11 de Abril de 2006 e isso deu uma pausa na carreira do menino Marshall. Em 2009, depois de um quadro grave de depressão que o fez beirar a morte, Eminem lançou “Relapse”, anunciado como a volta triunfante, não atendeu às expectativas dos fãs, assim como os álbuns posteriores (Recovery, 2010. The Marshall Mathers LP 2, 2013)

A qualidade do Weezy foi acontecendo de forma gradativa, do suportável ao insuportável. Começou no final de 2009, mas sua queda foi firmada mais precisamente em 2010 com o lançamento de seu álbum de rock “Rebirth” que nada mais que é uma grande compilação de desgraça sonora. Por alguns momentos, tudo que o rapper tinha construído, foi pelo ralo. A crítica caiu matando em cima do rapper, e o que antes era comum para o ele como, indicações a premiações, convites para performances, vendas de álbuns e ingressos para shows tiveram uma queda significativa. O rapper que antes era respeitado, virou piada.

Por mais que o Eminem, não tenha decaído tecnicamente, ele parece ter perdido a mão quando se trata de atrair o ouvinte. A repetição vários temas em suas músicas me faz questionar se ele tem algo ainda pra falar, e isso o torna cansativo além de corny. Além disso, algumas coisas técnicas incomodam os fãs, como a obsessão pelo flow acelerado de robô e o pick de beats ruins, as vezes tão ruins que me faz querer ser surdo. Diferente do Em, o declínio do Weezy existiu também na caneta. Há muito tempo ele utiliza os mesmos temas, não vejo isso como um problema, o problema na real é que antes suas linhas eram bastante inteligentes e engraçadas, suas piores linhas conseguiam arrancar aquela risada e o pensamento “ninguém mais no rap poderia falar isso, a não ser o Wayne”. Sua tentativa de se reinventar e fazer algo experimental não deu certo, por sua limitação artística e criativa. Wayne é um rapper e não devia tentar sair desse segmento, pelo bem dos fãs.

Como disse no ínicio, o auge do Wayne é muito mais recente que o do Eminem e isso faz com que os fãs do Weezy tenham mais esperanças. É verdade que recentemente Wayne tem feito feats muito bons como na “Smuckers” do Tyler ou na “M”$” do A$AP Rocky, enquanto que o Eminem… A última aparição que me fez dizer “Nunca critiquei”, foi no Cypher da Shady XV onde ele droppou versos tão quentes quanto Belém ao meio dia, acredite é quente pra caralho aqui.

É a hora de aposentar?

Sobre o Eminem, talvez um último disco antes de se retirar do jogo, mas um disco que atenda as expectativas dos fãs: Juntar um bom time de produtores; Se rodear de pessoas que não tenham medo de criticá-lo: Em realmente precisa de gente pra dar um tapa nas costas e dizer “Essa musica tá uma merda, amigão. Lança isso não”; aproveitar o Dre inspirado novamente em fazer música, já que ele lançou o Compton. Esses pontos fariam o cara branco de Detroit lançar um álbum realmente bom, que remeta a sua melhor forma. Entretanto, não adianta fazer tudo isso e não ter nada pra falar sobre, ser reinventar é muito díficil mas é necessário quando se é um artista, ainda mais  com uma carreira tão longa. Find a muthafuckin topic!

Não é a hora de se aposentar, ainda. Na real, a aposentadoria de um rapper no meu  ponto de vista continua sendo um mito. Rapper não aposenta. O que geralmente acontece com eles é: Morte ou ficar tão irrelevante que a gente acha que morreu. Claro, que como fã, eu e o Cacique não queremos um final tão trágico para nossos ídolos. O que o Weezy precisa fazer é continuar o que vem fazendo nos últimos feats. É fácil perceber, que quando esses dois querem, eles FAZEM. São lendas vivas, que por muito tempo permaneceram no topo do gênero. Quem sabe não rola.

E você? O que acha? Deixa um comentário aí e vamo debater! PEACE!

Anúncios

2 comentários sobre “MNV – Eminem, Lil’ Wayne e a hora de aposentar

  1. Não acredito nessa de aposentadoria… Não acompanho Wayne tão de perto, mas o Em… enfim… não achei Relapse de todo ruim, mas acredito ver q seus fãs querem aquela mesma coisa de sempre, de quando ele estourou. Acredito que ele ainda pode surpreender. Respeito o fato d q ele passeia por entre os estilos sem perder a linha…. n acredito nessa de parar, de aposentar… ainda tem muita coisa pela frente… quer alcance o grande público, quer não…

    Curtido por 1 pessoa

  2. Nunca entendi as críticas ao “Encore” do Eminem, um álbum que tem: Mosh, Ricky Tic Toc, Never Enough (ft. 50 Cent), Encore/Curtains Down, Like Toy Soldiers, Mockingbird, Rain Man, Just Lose It, We As Americans. Encore derruba quase qualquer álbum de rap q sai atualmente…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s