Review: “Bobby Taratino” por Logic

bobotarantino.pngNos últimos seis anos, seis trampos lançados. Nos últimos quatro ou três anos, ele tem discos/mixtapes entre os melhores do ano. Ano retrasado, largou o “Under Pressure”, um dos dez melhores daquele ano, sendo um debut’s mais invejáveis pra qualquer artista hip hop dessa década, só sendo um pouco ofuscado pelo excelente também debut do Joey Bada$ no ano seguinte. Ano passado, ele também lançou um dos melhores discos do ano, e pra ainda fortificar ainda mais seu ótimo momento, esse ano largou o “Bobby Tarantino”..a  pergunta que não quer calar  é … quando é que vocês irão falar mais do Logic?

Eu e Logic temos três coisas em comum ; a primeira é amar rap ; a segunda é se considerar um geek. E a terceira, mas não menos importante, é ser fã pra caralho do diretor cinematográfico Quentin Tarantino. Por isso, Logic, que na verdade se chama Bobby, decidiu homenagear seu cineasta favorito, coisa que ele sempre abordou em seus trabalhos anteriores com algumas linhas.

Sendo assim, mesmo sendo uma mixtape e mesmo não sendo obrigatoriamente um tipo de projeto que busque isso, Logic tenta ser o menos linear possível em homenagem ao Tarantino. Primeiro, é a temática dele se considerar um “escravo” do rap e sempre dedicar sua vida a musica. Então, se vocês perceberem bem, “Slave II” é a quarta faixa do projeto enquanto “Slave” é a décima faixa do projeto. Eu peguei essa referência cara, obrigado.

Por isso, o trampo é embaralhado por braggadocious e questões de fama. “Flexicution” é uma coisa muito boa de se ouvir tendo o antigo colaborador 6ix, que produz todas as faixas e nos colocam em trap’s clouds, trap’s softs, samples de trap r&b,  boombaps modernos e por ai vai. Não podemos negar que esse é uma das mixtapes mais bem produzidas do ano. Com isso, percebemos uma sinergia gigante entre o rapper e o produtor, o que deixa tudo muito bem encaixado e articulado. Pusha T vem ótimo contanto uma história de um traficante colombiano na faixa “Wrist” com o Logic, e “44 bars” juntamente “Deeper Than Money” percebemos a grande influência que o Drake e Kendrick exercem no rapper da ratppack, seja nas escolhas de beat e temas introspectivos ou nos adi-bls com as escolhas de flow’s.

Bobby Tarantino pode ser uma mixtape que não trás nada de novo, que não faz com que o Logic se entregue muito na lírica ou na parte conceitual (coisa que vemos muito nos trampos dele). Porém, é bem articulado, enérgico e bem potencial. Thanks, Bobby!!

Anúncios

2 comentários sobre “Review: “Bobby Taratino” por Logic

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s