Review : “Views” por Drake

VIEWSReview6GOD IS BACK! Durante essa semana, o Drake parou o mundo do rap com o lançamento do seu mais novo disco “Views”. Com fodendas 20 tracks, – os artistas tem que parar com isso – o rapper canadense tá pronto para tomar as rádios e os fones dos ouvintes de assalto. OVOsound na casa.

Um parça muito fã do Drake chegou assim e falou pra mim: “Se o Drake não tivesse lançado “If You’re Reading This It’s Too Late” e  “What a Time to Be Alive, Views teria mais impacto”, e eu tenho que concordar. O lançamento dos últimos dois trampos do Drake fizeram com que mais da metade, acho que todo mundo na verdade, esperassem outra pegada e outra vibe do Drake. Tentando misturar IYRTITL e WTTBA com algo mais Take Care,  Drizzy proporcionou ao “Views” uma falha diante da supérflua tentativa de junções de estilo do Old Drake e o New Drake. Se conceituando na chegada do inverno Canadense, vocês podem perceber isso logo na capa do disco, Drizzy vem com uma vibe que o consagrou no “Take Care”, que é uma vocal mais melódica, com temáticas sobre garotas, relacionamentos e amizades bastante questionáveis. Com tudo isso, vem em musicas como “Hype” e “Grammy”, “Weston Road Flows”, a relação com os dois últimos registros intercalado com o disco de 2011, na qual o dono da OVOsound vem arrogante e esbanjando muito sucesso, sem deixar claro, a sua insegurança com certos assuntos.

Feel like I never say much but man there’s a lot to know
Feel like the difference between us really startin’ to show
I’m lookin at they first week numbers like what are those
I mean you boys not even coming close” (“Weston Road Flows”)

Porém, de onde o Drake errou então já que ele veio na fórmula de sucesso? Acredito que de todos os discos do mesmo, “Views” é o mais superficial. É claro que ele vem tentando com esse disco não só brigar com rappers, mas com artistas pop, ou seja, ele quer brigar em um contexto mais amplo, e nisso ele falha. Logo na intro, musica que se chama “Keep The Family Close”, já percebemos isso. Ademais, nem tudo é ruim pessoas. Em “U With Me?” (Kanye West é foda), “Redemption”, e até mesmo as três musicas citadas lá em cima são bastante boas. A pegada Dancehall é quase certeira, a parte final do CD não é de tudo ruim, contudo, “Child’s Play”, “Pop Style” e “Too Good” são bastante nada a ver.

As participações estão boas, destaque para o lendário Pimp C e a jovem dupla DVSN (Melhor participação) na musica “Faithful”. Já no quesito da produção, acredito que esse é um dos pontos principais, se não a principal, desse registro ser bom. Noah “40” Shebib tá em seu melhor trabalho e Boi-1da, Nineteen85 tão excelentes. Contudo, acho que apesar da produção está ótima, isso proporcionou ainda mais da não saída de conforto do Drake, a falta de sentido na ligação das faixas, músicas que praticamente trazem as mesmas ideias nos remete ao pensamento de que o autor disso tava com muita preguiça. No entanto, tentamos gostar menos do Drizzy, mas ele não deixa, mesmo os assuntos sendo monótonos ele trás uma atmosfera da sofrência que gostamos, as batidas no colocam em um inverno bastante sofrido sem aquela bebezinha, além do fato do dancehall e dos elementos R&B/Pop nunca falharem. Apesar de ser preguiçoso, superficial, o 6GOD repete várias formulas de sucesso que continuam fazendo sucesso. As batidas trazem uma atmosfera foda pra bagarai e com certeza “Views” tem nada de ruim, pelo contrário, ele fez muita fanservice que me fez gostar do disco, e boa parte dos fãs.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s