Review: “i dont belong here” por Pryde

prydereviewCanadense, fruto do efeito Drake, Pryde é um jovem rapper talentosíssimo que tem uma fã base forte e bastante fiel. No ano de 2015, largou duas boas mixtapes chamadas “Richvale Summer” e “Plan A”, destaque para o primeiro que tem algumas musicas que me fizeram ficar ‘suavão’ nos finais de semana do ano passado. Em 2016, Prizzy prometeu dropar um EP que continha 6 faixas do seu álbum que ainda vai sair chamado“RUSSEL”, que foi adiado por ele por achar que os fãs “mereciam mais”. Enfim, sem mais o que dizer na introdução, vamos pro que interessa.

Pryde é daquele tipo de jovem rapper que você vai torcer pra ele explodir no game. Jovem, talentoso, ambicioso, Pryde mais conhecido como Russel, tem soltado ao longos dos anos mixtapes bons pra caramba. Influenciado pelo também canadense Drake, Prizzy já deixou bem claro que o 6GOD é um dos seus rappers favoritos, e a influência é gingante mesmo. Pryde sabe pular de cânticos R&B e boas linhas de rap de uma forma bastante similar, seu estilo de produção é bastante parecido também. Neste caso, em “i dont belong here” você irá notar isso na segunda metade do disco. Contudo, vamos primeiro pra primeira parte.

Todo o EP tem faixas boas, tirando claro a track “U2” que eu achei muito desnecessário, a primeira track chamada “Roses Intro” abre alas pra introspectividade do MC, na qual é bastante forte. Constantemente você irá escutar sobre sua mãe, seu irmão e sobre sua família. Nas musicas seguintes, temos uma arrogância aflorada e um ego que exalta suas habilidades e, intercalado a isso, fica puto com o fato de ainda não ta no topo do game, visto que ele é muito bom, e vive perdendo espaço para rappers que nada dizem. “Nuff Said” e “Thompson Diner Freestyle” definem bem aquilo que é a primeira parte do cd, que é puro ego trip com produções pancadas.

Já na segunda parte decisiva, encontramos mais pontes e refrões R&B do próprio rapper e de algumas participações como no caso da SaraB em “Feeliam Shaakespeare”. Alguns versos são mais soft e os trap’s também, temos aqui uns boombap’s modernos com alguns bass também. A única falha do EP, é ser muito limitado na temática, mas isso se deve ao fato do rapper em questão ser um pouco limitado liricamente. Todavia, assim como o próprio Drake, que é limitado também, Pryde sabe impactar muito bem aquilo que ele fala, ele sabe chegar e dizer “Eu tô aqui porra, me escutem agora” de uma forma que chega até marcar. “i dont belong here” é um ótimo EP, um dos meus favoritos até agora, quase todas as tracks foram assinados pelo Joey Castellani, todas as participações estão ótimas também. Compacto e ao mesmo tempo muito solto, vocês irão perder uma boa diversão se não escutarem.

Anúncios

2 comentários sobre “Review: “i dont belong here” por Pryde

  1. Pessoal, façam um review da mixtape do gxlden, suburbano convicto e tb deem uma olhada nos trabalhos lançados pelo tory lanez tb de toronto, o cara é foda

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s