Top 10: Álbuns de 2015 (Vinar)

Diz pra mim, seus cosplay do Chewbacca! Vinar aqui pra soltar a minha lista PESSOAL, sim, isso mesmo PESSOAL de álbuns que eu mais curti nesse ano. E esse ano, rapazeada, foi um baita ano tanto pro rap quanto pra gente do site, mas isso fica pra outro post. Eu fiz umas dez alterações nessa porra, porque quando fechava esquecia de algum ou não concordava com a ordem mas tá aí, minha lista tem 6 trampos gringos e 4 nacionais, acabei deixando alguns trampos de fora que vou considerar como menções honrosas e no mais foda-se, vamo pra lista.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Menções Honrosas: “B4.DA.$$” de Joey Bada$$;  “Tetsuo & Youth” de Lupe Fiasco; “The Documentary 2” e “The Decumentary 2.5” de The Game; “King Push Darkest Before Dawn (The Prelude)” de Pusha T; “Boomshot Apresenta” de Síntese, Akilez, Kiko Dinucci, Thiago França. (Esse dois últimos saíram muito em cima da hora, mas se tivesse mais um tempo, creio que fariam a lista. Em breve review de ambos!)

 

10 – “Rodeo” – Travi$ Scott

Nunca fui de dar muita atenção ao Travi$, isso pela sua lírica que, convenhamos, é bem fraca. Mas, em “Rodeo”, a produção é tão pica, que conseguiu “esconder” seus defeitos, é um álbum super divertido, turnt up,  tem várias tracks que mantenho no repeat, vide “Nightcrawler” e é isso.

9 – “Summertime ’06” – Vince Staples

Projeto muito coeso, muito bem elaborado do Vince Staples que tem como forte a incrível produção do NO I.D. que construiu essa atmosfera dark, áspera, composta de vários BANGERRRRRRS. Vince não traz letras complexas, mas as letras simples dele funcionam bem no projeto.

8 – “I Don’t Like Sh*t, I Don’t Go Outside” – Earl Sweatshirt

Segundo álbum do Earl, devo dizer que curti mais que Doris, achei mais coeso como um projeto, curti mais o estilo de produção assim como as rimas. Um álbum que apesar de ter saído relativamente cedo no ano, eu ainda curto bastante.

7 – “O Inferno do Cachorro Magro: O EP do Vilão” – Shawlin & Tropkillaz

Demorei a escutar esse EP, mas depois que peguei num parei mais de ouvir. Shaw DÁ AULA de como se reinventar com esse alter-ego, o Cachorro Magro. Produção do TropKillaz, sem comentários.

6 – “Compton” – Dr. Dre

Muito tempo esperando algo novo desse cara, um dos meus maiores ídolos no gênero, ele lança “Compton” do nada. Talvez alguns de vocês tenham se decepcionado com o álbum, mas pra mim funciona super bem, e é mais uma aula de como criar álbuns do vovô bilionário.

5 – “Negros” – Beni

“Negros” foi a surpresa do ano pra mim, viciado no álbum que é excelente. Beni além de mandar rimas boas, faz uma produção que puta que pariu, além de tudo isso, houve uma preocupação com conceito e em como amarrar as tracks. Se tu não ouviu, escuta.

4 – “Seguimos Na Sombra” – Nectar

Tape de estreia do Nectar e que estreia, meus amigos! Tava em quinto no meu top 5 do meio do ano, e manteve posição apesar de vários projetos picas lançados. Um trabalho muito foda, senti que eles se preocuparam em criar uma “atmosfera” pro álbum, uma identidade sonora e temática, o que é muito bom de se ver, principalmente, no nacional. Belo trabalho. 777 vj

3 – “At.Long.Last.A$AP” – A$AP Rocky

A mesma coisa acontece com ALLA, que apesar de não ser tão convincente liricamente, compensa e muito na produção. A vibe criada na produção é bem insana, um mixto de aéreo, com trippy. Bem louco.

2 – “RÁ” – Rodrigo Ogi

Cinco shits de novo. He did it again.“RÁ” nem é surpresa, geral sabia que vinha um projeto pesado, mas o vovô superou até o hype. Liricamente, esse álbum aqui é um marco, e deveria fazer os outros MC’s elevarem seus jogos, como já está fazendo. “Nave no beat, isso é puro abalo sísmico” Sim, é mesmo. Só pra terminar, acho que cês comeram merda pra achar Revel melhor que isso.

1 – “To Pimp A Butterfly” – Kendrick Lamar

Tava em dúvida, se colocava “RÁ” em primeiro lugar junto com o “TPAB”, e a única razão dele tá só aqui, é o conceito e a densidade do projeto, mas ouvi o “RÁ” bem mais vezes. Sobre o “TPAB”, eu acho que geral já sabe do quão foda esse álbum é.

E essa foi a minha lista. Gostou? Não? Então, foda-se. Tô brincando, viu? Mentira, nem tô. Mas aí, feliz natal pra vocês. PEACE!

Anúncios

2 comentários sobre “Top 10: Álbuns de 2015 (Vinar)

  1. cadê o If You’re Reading This It’s Too Late?? brincadeira só tô me adiantando pro q os nego vão falar haha,sobre hip hop/rap é muito difícil formar listas né? pq tem todo um ramo de mixtapes e tal que conseguem ás vzs fazer o mesmo barulho ou mais que álbums,mas essa tua lista achei muito boa sem dúvida.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s