Review Nacional: “Black Friday” por Marcão Baixada

48088682e1d50e698de3b5f5c79ddb72Fala ai, seus comedor de pudim flan! Hoje vai ser confuso mermo. Menino Hussein na tua segunda, pra falar de uma tape que tem “sexta” no nome. Lançada há um tempinho atrás pela revelação do rapRJ Marcão Baixada, essa mix é uma coletânea de sons que não entraram no final cut do aguardado EP Geração 90 que brevemente será lançado pelo MB. Mas não pense você que por ser um projeto de leftovers a qualidade das tracks é baixa. Vem com nois que eu passo essa visão!

Sobre as habilidades do Marcão como MC, há muito a se destacar. O cara é sagaz em se tratando de punchlines, e também mostra que sabe variar e inovar nos flows que propõe, principalmente nos traps. Um ponto de sua lírica que merece lapidação é a métrica; mas esta acaba ficando em segundo plano quando prestamos atenção nos jogos de palavras, variações de levada e até algumas multissilábicas vistas nas tracks, tudo num tom de bragadoccio, e em temas que variam do cotidiano caótico na baixada fluminense à ostentação de estilo do MB. A influência do funk carioca nas letras também é notável, tanto no vocabulário como também nas influências e, eu, como fã do gênero, curti pra carai. Fiquem aí com um trechinho onde ele manda benzão no flow e nas linhas, tirado da “OG Bobby Johnson Remix”:

Vinícius Romão… preso por engano
Podia ter sido qualquer mano
Represento o estilo africano
Quer dizer que eu não posso andar nos pano?
Moleque chavoso, meia na canela
Nós tem classe, tipo a Velha Guarda da Portela
Só quero progresso pra favela
Vai rachar a cara quando ver os preto de Margiela (“OG Bobby Johnson Remix”)

Quanto aos instrumentais, há beats inéditos (alguns assinados pelo próprio Marcão) e bases de outros artistas onde ele faz freestyles, algo comum nas mixtapes gringas. A maioria das produções é voltada ao trap, e as com tal característica são as mais notáveis da tape. Dentre os beats do MB, os das tracks 3, 4 e 5 possuem qualidade, mas poderiam ser melhor trabalhados. Os destaques entre os instrumentais são o trap pesado da “Psico” e o remix da já famosa “Eu Já Sabia” do D2 feito pelo Luiz Café.

Conceitualmente, a tape cumpre bem sua função de dar uma liberdade maior de temáticas pro rapper. Dá pra ver o Marcão bem à vontade, e um ponto positivo foi a receptividade do MB ao formato americano de tapes contemporâneas, que inclui remixes de outras faixas que tão fazendo sucesso na cena. O garoto fluminense tá de parabéns ao manter um olho na sua comunidade e o outro lá fora, aberto ao game gringo. E é isso mes amis, não fechem a aba do blog porque aí vem mais texto pesado dessa equipe que tá mais entrosada que o ataque do Barça. Até!

Nota4

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s