Review Nacional: “O Que Separa Os Homens Dos Meninos”, por Sant

sant
Coé, meu bonde!
Menino Huss aqui novamente pra revisar mais um trabalho da nossa cena nacional! O escolhido dessa vez foi o EP de debute do Sant, cujo título é “O Que Separa Os Homens Dos Meninos”. Pra quem não sabe, o Sant é pupilo da lenda Marechal. Como o trabalho é curtinho (5 faixas, tirando uma bônus), farei aquele esquema de falar sobre cada faixa. Tiupar!

A 1ª track, que recebe o mesmo nome do trabalho, é simplesmente uma pedrada. Assistido por belas notas de piano, o rapper carioca simplesmente solta versos fortíssimos e bem introspectivos, sobre sua família e também sobre fatos que marcaram sua vida antes de se lançar no rap. Logo na intro o muleque já chega com o pé na porta.

“B.O.” é o nome da segunda faixa, e retrata o dilema do tráfico de drogas no Rio. Sant mostra sua versatilidade rimando como um soldado do morro no 1º verso, e assumindo sua real persona no 2º. A produção é daquelas que te põem pra cima, e é assinada pelo já famoso Luiz Café, e conta com traços até do dubstep.

A 3ª track, “O Tempo Passou”, já havia sido lançada anteriormente; o que difere na versão do álbum é o ótimo verso largado pelo Marechal, daqueles que te encanta mesmo você tendo uma ideologia diferente do cara (o que é exatamente o meu caso). No mais, a faixa já era foda, com belos versos do Sant sobre sua história e suas vontades para o futuro, além de seu mentor mandando bem no refrão e na produção.

“Coragem” é o nome da 4ª faixa. Em mais um beat assinado pelo Marecha, dessa vez numa vibe chill out, e o Sant versa sobre os momentos em que pensou em largar a carreira, além dos desafios que encontra por querer viver do rap. Dá pra se inspirar a vera nas rimas ali encontradas.

Fechando oficialmente o álbum, chegamos na track “O Mundo Ao Norte”. Aqui, o rapper versa sobre o seu local de origem, a Zona Norte carioca, também conhecida como ZN, e os elementos que a compõem: a desigualdade social, a presença das favelas e o esquecimento em relação ao Rio geralmente retratado.

Num apanhado geral, o EP é geralmente surpreendente, tanto pela lírica monstra do Sant, tanto pela escolha precisa dos beats, e mais ainda por ser um trabalho de conscious rap que não te cansa, e realmente consegue te prender do começo ao fim. Certamente é o melhor release nacional do ano até agora, e uma belíssima estreia pro jovem rapper carioca. E é isso, aguardem porque ai vem mais conteúdo pesado do blog mais quente do jogo! Até!

Nota5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s