Review: “Special Effects” por Tech N9ne

TechN9neSpecialEffectsHiResSALVE, RAPA! It’s yo boy Vinar, de volta aqui, pra falarmos dessa vez de Tech N9ne, que lançou dia 5 seu 219787382183791º álbum de estúdio, SPECIAL EFFECTS. Tech é famoso pelo seu double time rappin’ e por ser o líder da Strange Music, a label independente que ele comanda, que até pouco tempo, Jay Rock da TDE, fazia parte também. Falando mais especificamente desse projeto aqui, Special Effects teve como grande single a “Speedom (WWC2)”, com feat do Em e de Krizz Kaliko, outro companheiro de Tech na Strange.

Bem, o álbum começa com “Aw Yeah”, então… As vozes adicionais tentaram fazer uma parada épica pra uma entrada triunfal mas não funcionaram, cara, e os versos eram até legaizinhos, mas… Não dá. “Lacrimosa”, tem um refrão com um coro, com a mesma intenção de fazer uma parada elegante, mas de novo: FAIL. “OU, Vinar. Porque tanto hate no álbum ?” Cê já vai entender, mano. Lê até o final. “On The Bible”, que porra de refrão é esse, velho ? AHAHAHAHAH. Não tenho nem palavras, vou deixar o link aqui, E O MELHOR, ele meio que pega o sotaque do Eminem no Relapse… FAIL. (T.I. não conseguiu salvar a track)

Depois disso, vem uma faixa com o Hopsin, que faz uma “Kim” moderna, muita falta de originalidade, né Hopsin ? E já não bastando os refrões do começo, vem uma track com o vocalista do Slipknot… ¬¬ … E ela é bem sad e depois fica meio heavy, aí já vê que nada vai fazer sentido sonoramente, e antes da faixa entrar ele disse que queria ser o epicentro de todos os tipos de músicas, cê tentou, cara.

Depois da faixa, o álbum vai pra uma pegada mais hood com “Hood Go Crazy”, que é outra que é legalzinha, nada demais também, a batida é bem hood mesmo,  “Bass Backwards”, com feats de Lil’ Wayne e Yo Gotti, com versos “OK”, nada demais, e esse é o problema do álbum, tudo o que o T9 tentou fazer, não funcionou, péssimo gosto, não ficou um projeto coeso e só vai piorar, acredite.

Outro momento legal do álbum é a “Speedom”, que quando saiu, eu não tinha curtido, mas cresceu e soou bem no álbum, mas dela pra frente, cara… Cara… A gente já foi de refrão com coro de igreja, pra Slipknot, pra 2 Chainz, e vamo pra refrãozinho pop barato em faixas com produção sad + Double time rappin’ = PERFECT MATCH. Da 19 a 23, é isso que acontece… E a 23, “Wordly Angel”, tem flautas, umas vozes adicionais sem sentido, e o REFRÃO, sem comentários, pra acabar o álbum vem “Roadkill” , que tem uns elementos de eletrônica. Eu disse que nada ia fazer sentido.

“Special Effects”, pra mim, é o pior álbum do ano, a falta de coesão incomoda demais, os refrões idem, a produção vai junto, e por mais que o Tech mande bem no mic, isso é o que menos se nota. O número de feats foi muito prejudicial e o número de faixas também, 24, mano ? Puta que pariu. Enfim, galera. É isso, até a próxima review com o GOAT dos blogs. PEAAAACE ! GOD BLESS Y’ALL.

Nota1

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s