Review: “Ludaversal” por Ludacris

Ludacris - Ludaversal (Deluxe Edition) [MP3-V0] [2015]

E aí, rapa ?! Vinar de volta aqui com mais uma REVIEW e dessa vez vamos falar de “Ludaversal” o nono álbum de estúdio do rapper Ludacris, que é nativo de Atlanta, representando o Dirty South. Luda volta com esse projeto após cinco anos, desde o lançamento de “Battle Of The Sexes”.

Todo mundo já ouviu aquele papo de que a faixa inicial dita o que vai ser o resto do álbum, ou pelo menos deveria ser assim, CERTO ? A intro de “Ludaversal” faz isso muito bem, com toda a energia que ele põe na faixa, com o flow, com as barras, e tudo isso continua nas faixas seguintes, como por exemplo o single “Call Ya Bluff“, “Grass Is Always Greener” que também é uma das minhas favoritas do projeto, “Beast Mode“. A produção nessas faixas é algo que preciso falar, as caixas sempre em destaque, naquela levada de trap “clássico” mesmo, mas ainda assim bem atuais.

Ain’t nobody fuckin’ with me when it come to getting lyrical
Murdering the rapper and killing beats nigga!

I’m cinematic making everybody panic
I be bustin’ like a fully automatic feel the heat nigga (“Ludaversal Intro”)

A partir do interlúdio “Come And See Me“, que abre pra faixa de mesmo nome com feature do Big K.R.I.T, o álbum vai pra uma levada mais introspectiva, mostrando mais do lado pessoal do rapper. Como a própria faixa “Come And See Me“, fala do amor pelo seu carro, tópico clássico de rappers sulistas; “Oceans Skies“, que é uma faixa bastante inteligente ao mesmo tempo que é sentimental, onde o MC fala da saudade do seu falecido pai, e de como a bebida tem afetado a vida dele. Assim que eu vi Usher (“Not Long“) e Miguel (“Good Lovin’“) pensei logo em corny hooksmas eu me enganei e eles caíram super bem nos refrões.

Yeah, I lost my father to the bottle
Functioning alcoholics what they call it far as I know
Became a teenager and started to understand
But even through drinks he still taught me to be a man (“Oceans Skies”)

No geral, Ludacris droppou um álbum completo. Um álbum que não só mostra o lado “estúpido” mas que também mostra um lado mais instropectivo; um álbum completo também na diversidade de ritmos, flows, produção. Um álbum que tanto quem quer curtir um trap pesado, quanto quem tá numa vibe mais smooth vai poder ouvir.

Nota4

That’s all, FOLKS ! Até a próxima review ! Deixem seu comentário, reclamação, elogio, choro ou qualquer outra coisa aí embaixo que a gente troca uma ideia. PEACE !

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s